Os 10 Passos para Criar Facilmente um Site para Advogados

Como Criar um Site para Advogado?

Nos dias de hoje, a população já se acostumou a procurar e adquirir produtos e serviços na internet.  E isso é válido para todos os segmentos, inclusive na advocacia. Um profissional completo precisa ter sua presença online consolidada e um site completo e bem ranqueado no Google.

O site serve, além de portfólio profissional, como o primeiro contato do possível cliente com o escritório e os serviços que são oferecidos por este.

Neste artigo, encontre um guia completo de como criar um site para advogados e escritórios de advocacia.

Continue lendo…

Contratando um profissional

Se o escritório contar com um orçamento próprio para o projeto, poderá contratar exclusivamente um profissional para desenvolver website otimizado e responsivo. Existem muitas agências, online e físicas que oferecem esse serviço. Além disso, é possível encontrar profissionais em sites como Workana e 99Freelas, onde se posta o projeto desejado e Freelancers lançam suas propostas de preço e prazos.

Criando um site

Seja por falta de recursos financeiros, ou pela vontade de desenvolver essa habilidade, também existe a possibilidade de criar o site por conta própria.  Com vários recursos e ferramentas baratas – e até mesmo gratuitas – é possível construir um site profissional.

Quais os benefícios de ter um site?

São inúmeros os benefícios de estar presente no ambiente online. Entre eles estão:

  • Encontrar novos clientes – Um dos maiores benefícios de ter um site do escritório é, sem dúvida, conseguir angariar novos clientes. Através da presença online, é possível alcançar clientes que, apenas com os meios tradicionais de marketing offline, não seriam alcançados.
  • Ganhar credibilidade no ramo – Principalmente para os advogados iniciantes, é uma ótima oportunidade de ganhar maior credibilidade no meio jurídico e na área de atuação.
  • Ter um bom ranqueamento no Google – Apesar das demais redes sociais (Facebook, Instagram, Linkedin, YouTube) serem essenciais para uma boa estratégia de marketing jurídico digital, é através do website que o cliente encontrará os serviços.A grande maioria dos usuários utilizam o Google para pesquisar seus fornecedores, logo, é de suma importância que o site esteja bem ranqueado nas pesquisas. Para isso, é necessário que o conteúdo seja de qualidade, as páginas sejam responsivas e que o SEO (Search Engine Optmization) esteja aplicado corretamente.
  • Ter uma vitrine/escritório virtual do seu negócio – site se torna uma espécie de extensão do escritório, oferecendo os mesmos serviços que no offline, economizando tempo e recursos mas, ao mesmo tempo, tendo atendimento ao cliente sem restrições de horário como ocorre no escritório padrão. Além disso, o escritório virtual pode disponibilizar para o usuário uma série de materiais de apoio como artigos, e-books e podcasts.
  • Divulgar conteúdo – É uma ótima forma de produzir e compartilhar conteúdos de qualidade, fazendo com o que o público se identifique e comece uma relação com a marca que poderá render negócios no futuro.

Estruturando o site

O primeiro passo para se criar o site é definir quais páginas existirão nele e os conteúdos a serem exibidos. Como a OAB proíbe a venda direta dos serviços, é importante que o site seja institucional, que apresente a equipe e disponibilize conteúdos que agreguem ao leitor. É importante que o site possua:

  • Home -A página inicial do site é o primeiro contato do cliente com a marca. Logo, além de intuitiva e fácil de navegar, é necessário que possua todas as informações essenciais ao usuário. Também é importante colocar um chatbot para receber o visitante. Chatbots são robôs que, a partir de respostas pré-programadas, fazem a primeira interação com o usuário, sanando duvidas e redirecionando para as áreas corretas.
  • Sobre – Na aba “Sobre” é interessante explanar um pouco sobre a história do escritório, bem como colocar a “Visão, Missão e Valores”. Nessa página o usuário conseguirá visualizar como é a estrutura da empresa, seja hierárquica ou física.
  • Quem somos – Essa é a sessão para apresentação dos profissionais que atendem os clientes. Uma breve descrição acadêmica e profissional de cada um, bem como o número da OAB e a área de atuação. Não esqueça de deixar os contatos profissionais em um lugar bem visível. Nessa aba também (ou em outra, a depender da quantidade de informação) se encontra as áreas de atuação que o escritório atua, de preferência com descrições e exemplos de ações para melhor entendimento do público-alvo.
  • Contato – É a página onde se encontram todos os meios de comunicação da empresa: Redes Sociais, e-mail, telefone e localização do escritório presencial. Também pode ser colocado ali um formulário para o cliente preencher dentro do site.

Layout

O Layout é outra parte importantíssima a se planejar. Depois de definidas as páginas que constarão no site, é necessário esboçar como ele ficará depois de pronto. Para isso, é interessante seguir as cores e fontes já usadas no logo e na comunicação do escritório, para manter a padronização.

Para selecionar as imagens a serem utilizadas, o profissional poderá escolher entre banco de imagens pagos ou gratuitos. Ambas as opções têm milhares de imagens e ilustrações disponíveis para ajudar a desenvolver o layout.

  • Hospedagem – Para a hospedagem, a opção mais utilizada pelos profissionais sem muita experiência em web design é a plataforma WordPress, que possui inúmeros templates fáceis de editar, a grande maioria já responsivos (adaptável para todos os tipos de telas). Essa parte, inclusive, é essencial para o bom funcionamento e ranqueamento do site, dado que cada vez mais o brasileiro utiliza-se de Smartphones para fazer suas pesquisas.
  • Aparência – Para sites jurídicos, geralmente se escolhem layouts mais sóbrios, sem muita animação e com letras que facilitam a leitura. As imagens escolhidas também deverão passar seriedade e a garantia de uma empresa idônea.
  • Conteúdo – É necessário tomar um cuidado especial com o conteúdo que entrará no site. Revisar erros gramaticais e de concordância, e se a mensagem como um todo está clara para o leitor. Termos muito técnicos da linguagem jurídica são úteis apenas se o texto é voltado para os profissionais, do contrário é melhor manter a linguagem simples. Sempre manter o site atualizado com os profissionais do escritório e meios de contato e realizar checagens pontuais para conferir se todos os links e conteúdos disponíveis estão funcionando normalmente.

 

SEO

Parte essencial de qualquer site, o SEO (Search Engine Optmization) é um conjunto de ações e estratégias para inserir a página entre as primeiras opções pesquisadas, sem que para isso precise pagar os anúncios patrocinados. Dessa forma se ganha tráfego orgânico com baixo custo.

  • Palavras-chave – O primeiro passo é definir quais serão as palavras-chave a serem utilizadas. O que o futuro cliente irá digitar para encontrar o site em questão e sentir que seu problema foi resolvido? Palavras amplas são necessárias, como “advogado”, “advocacia”, mas é preciso trabalhar também palavras específicas. Por exemplo, se a área de atuação for trabalhista, utilizar “advogado trabalhista” ou até mesmo “advogado trabalhista em SP”. Quanto mais preciso for o termo, maiores as chances de alcançar ótimas posições nos resultados dos buscadores. Quanto mais amplo, mais competidores e chances quase nulas de alcançar os clientes potenciais.

Com ferramentas como o Google Analytics é possível mensurar quais palavras-chave estão funcionando e quais deverão ser descartadas. Existem diversas outras ferramentas também que ajudam a encontrar palavras-chave adequadas e através do Google Trends é possível ver quais termos estão em alta no Google – uma boa forma de entender quais conteúdos criar dentro da área de atuação.

  • Regionalidade – Não esquecer também de otimizar o conteúdo para as pessoas que estão perto e poderão vir a ser clientes do escritório presencial.  É importante deixar visível e utilizar nas palavras-chaves o estado, cidade e bairro, além de deixar o endereço cadastrado nos locais do Google.

Domínio e hospedagem

Com o site finalizado, é hora de colocá-lo no ar!

  • Escolhendo o domínio – O domínio é o endereço do site, aquilo que os visitantes irão digitar para acessá-lo. Pelo site Registro Br é possível registrar o domínio desejado, desde que ele não esteja em uso. A maioria dos sites comerciais no brasil utilizam a denominação “.com.br” mas também é possível escolher “adv.br”, que foi criada exclusivamente para empresas jurídicas. Ambas conseguirão o mesmo ranqueamento, desde que utilizadas as técnicas de SEO citadas anteriormente, então a escolha fica a critério do escritório.
  • Escolhendo a hospedagem –  A hospedagem, como o nome já sugere, é o local onde o site ficará hospedado, mantendo-o funcionando e de acesso livre para todos. Existem diversas empresas com valores variados que oferecem esse serviço como a Digital Ocean ou a King Host. Então é importante pesquisar e entender qual o melhor pacote para a demanda do site.

Criando um blog

A melhor forma de se destacar hoje na internet é entregando um conteúdo de qualidade e que seja compartilhável, logo criar e alimentar um blog ainda é uma ótima forma de se manter próximo aos clientes. Tendo um newsletter, é possível também enviar ao e-mail (desde que previamente solicitado) os melhores artigos do mês.

Pode-se alimentar com assuntos atuais e pequenas cartilhas que façam o leitor desvendar um pouco mais sobre o âmbito jurídico. Sempre focando na área de atuação do escritório, para que o Google reconheça como páginas relevantes e melhore as posições no ranqueamento. Se inspire com os melhores blogs jurídicos.

Marketing

Com o site no ar, é hora de colocar em prática os 8P’s do Marketing Digital:

  • Produto: Quais serão os serviços a serem oferecidos no site? De que forma os problemas do cliente podem ser solucionados pelo escritório?
  • Preço: No caso do site, como não se pode de fato ofertar um valor para o consumidor de fato, o preço será o valor agregado no conteúdo a ser oferecido, e como essa referência e credibilidade pode se transformar em futuros negócios;
  • Praça: O site realmente está inserido no mundo de seu público-alvo? As soluções e os modos de contato que eles preferencialmente usam estão disponíveis e fáceis de achar?
  • Promoção: Esse é o módulo que indica de quais formas os clientes são impactados e quais são os perfis deles.
  • Posicionamento: Aqui se decide qual a persona. A persona nada mais é que o “cliente ideal” da empresa e, com essa visão bem clara, é possível definir além das estratégias, o tom e a dinâmica dos textos que serão endereçados aos possíveis clientes. No meio digital, tão importante como o que falar é como falar.
  • Pessoas: Os profissionais que trabalham no escritório (tanto no online quanto no offline) estão alinhados com a visão, missão e valores da empresa?
  • Processos: Com as estratégias alinhadas, é hora de decidir quem serão os responsáveis por cada processo e como cada um desses se desdobrará para garantir o sucesso da empresa no mundo digital.
  • Performance: A última das etapas, mas não menos importante, é a hora de colher os dados e analisar os resultados online. Explanaremos mais no próximo tópico.

 

Análises

Depois de o site no ar e toda a estratégia de marketing rodando, é importante mensurar o que está funcionando e o que pode ser melhorado. Definir KPIs e realizar testes A/B são importantes para manter o site sempre com a melhor performance e, consequentemente, mantê-lo nas primeiras posições.

  • Google Analytics – Sendo uma ferramenta grátis e amplamente utilizada, o Google Analytics é um poderoso recurso para obter mais informações sobre os usuários e as formas de tráfego que entram no site.

Com ele é possível descobrir sexo, idade, cidade, palavras-chave, região, entre outros dados úteis para conseguir traçar o perfil dos usuários e até mesmo entender se quem está entrando no site é mesmo o público-alvo.

Ele é ótimo para campanhas de funil também, onde o usuário passa por uma jornada de “compra” que termina sempre em uma conversão (vendas, cadastro, etc).

Conclusão

Hoje é imprescindível para o profissional estar no ambiente online. Mais do que isso, os escritórios devem criar uma extensão do seu trabalho em seus sites para que consigam angariar ainda mais clientes. É preciso que seus sites sejam completos, coesos, simples de acessar e responsivos para todas as plataformas. Também é interessante para melhorar o ranqueamento nos buscadores a criação de um blog e que este sirva como complemento e fonte de conteúdos que agreguem para o leitor.

Use esse guia completo para criar seu site de advocacia!

Gostou do nosso conteúdo? Conseguimos sanar suas dúvidas e te guiar para a criação de um site? Deixe sua opinião ou comentário e nos ajude a melhorar ainda mais nossos conteúdos.