Marketing Jurídico – Tudo Que Você Precisa Saber

blog1-8d123ac1

Marketing Jurídico

As pessoas pesquisam cada vez mais e procuram muito antes de contratar um serviço ou comprar um produto. Isso é válido para todas as áreas, inclusive a advocacia. Como resultado, uma das áreas mais procuradas por advogados é a do marketing jurídico.

Dessa forma, eles precisam se adaptar para atender as demandas de seus clientes, mais exigentes do que nunca. Assim como se destacar dos demais colegas.

O marketing jurídico ficou forte, pois ajuda a criar uma boa reputação e a descobrir novos clientes. Tudo de forma mais fácil e com menos esforços.

O que é o marketing jurídico?

O marketing jurídico é uma variação do marketing tradicional às necessidades do mundo jurídico. Seu objetivo é, sobretudo, gerar valor para os clientes que usam os serviços da advocacia.

Ele consiste em uma série de ações e práticas que ajudam a fortalecer sua imagem e sua marca para quem procura pelo serviço.

Para isso, é criada uma série de estratégias que cumprem as normas do Código de Ética da OAB. Dessa forma, se consegue mais clientes fiéis.

marketing juídico versus marketing jurídico digital

O marketing jurídico por si só, é feito no off-line e apesar de esquecido como dito nesse artigo do Migalhas, é crucial e deve ser feito junto com o digital.

O conceito de marketing jurídico

Como é uma variação do marketing jurídico tradicional, o digital tem suas forças no ambiente online. Isto é, estratégias de divulgação, criação e postagem de conteúdo, análise de métricas, entre outras funções do negócio no ambiente online.

Ao contrário do marketing tradicional que se usa de uma fala unilateral, o marketing jurídico digital vem com uma fala bilateral. Em resumo: Não apenas o profissional como também o cliente têm voz e mantém o diálogo vivo. Dessa maneira se cria uma grande rede e se agrega valor mútuo.

O conceito de marketing para captação de clientes vem entrando aos poucos na rotina dos escritórios de advocacia e na carreira dos seus advogados que nele trabalham. Por outro lado, ainda são poucos que investem à fundo nas estratégias digitais.

Muitos criam sua marca pessoal no mundo off-line, mas sem muita presença digital. O que é um erro, já que na internet é possível aumentar e muito seus negócios.

Assim, foi criado o marketing digital com ênfase no jurídico, para ajudar a entender e criar suas estratégias a fim de ter mais clientes.

O marketing jurídico digital

Nos últimos anos, as empresas passaram a entender a força vinda da internet e a migrar seus esforços para o meio digital. Bem como estreitar os laços com seu público-alvo. Tudo isso com menos investimento. Além disso, ter meios fáceis para avaliar as métricas.

Com o marketing jurídico digital, o profissional consegue se tornar uma referência em seu negócio, dentro e fora da internet.

marketing jurídico

Aplique o marketing jurídico digital sempre e não apenas em uma ação sazonal. Se pode sim alterar as estratégias de acordo com as metas da empresa, seja como for: De curto, médio ou longo prazo.

O marketing digital hoje é um meio muito usado não só por ser eficiente e de baixo orçamento, mas também por ter grande retorno se usada de forma correta. Em contraste com as mídias tradicionais como o rádio, TV e jornais. Se comparar que se investe nelas com o que se investe no online, há uma grande diferença.

Cada vez mais os esforços de marketing se voltam para as soluções online. Todos os tipos de negócio podem e devem se beneficiar dessa prática, inclusive a advocacia.

Os meios de comunicação no marketing jurídico digital

Cada meio tem seu próprio estilo e deve ser planejado em separado:

  • Site – O site da empresa precisa ser intuitivo, responsivo (adaptável a todas as telas), ser claro e objetivo e fácil de navegar. Além disso, o design deve ser agradável aos olhos. A Rock Content ensina como criar um site do zero neste link.
  • Blog – Sendo parte do site ou separado, um blog ainda é uma ótima forma de postar bons conteúdos para alcançar pessoas. Ele precisa ranquear bem no Google para que o ciente encontre de forma rápida. Confira na postagem da Agência Mestre como criar um Blog.
  • Livros  Assim como os e-books, a produção de livros voltados para o marketing digital pode ser uma boa ideia. Apesar de fugir do meio digital por que muitos advogados ainda preferem o tradicional, o retorno pode ser bom. E da mesma forma, a Hotmart pode te ajudar a vender mais via Facebook. Confira no link.

As redes sociais no marketing jurídico digital

  • Instagram – Por ser uma rede social visual, use essa vantagem e poste fotos e vídeos com conteúdo que ensinem sobre a sua área de atuação. Bem como usar os Stories para fazer alguns bate-bola com os seguidores sobre dúvidas. Por fim, use as lives para conversar com o público. No Blog da Hotmart você pode conferir dicas para vender mais via Instagram.
  • YouTube – É hoje uma plataforma de vídeos para pesquisas sobre os mais diversos assuntos pela maioria de seus usuários. Dessa forma, o YouTube é uma chance de se conectar com o público que procura pelo seu serviço. Vídeos não muito longos são uma forma eficaz de crescer na rede. Para conhecer mais você pode conferir aqui.
  • Facebook – Rede social mais famosa do Brasil hoje, o Facebook possui soluções próprias para empresas. Mas, para atingir o público, a dica é focar em conteúdo compartilhável. Sempre faça as perguntas: “Esse é um conteúdo que meus amigos gostariam de ver? Esse é um conteúdo que eles enviariam pra outras pessoas? Esse é um conteúdo que eu enviaria pra outras pessoas?” Além disso, tenha sempre uma pessoa para responder as dúvidas que chegam no chat de forma rápida.
  • Linkedin – Uma rede muitas vezes esquecida, o Linkedin é um ótimo local para conseguir contatos e recomendações dos clientes. Por outro lado, isso não impede que se produza também um conteúdo sério e relevante que alcance outros advogados e clientes.  No perfil, coloque um resumo sobre a vida acadêmica e profissional, além de projetos. Saiba mais sobre como Vender via Linkedin.
  • Whatsapp – Mais uma rede que ainda pouco exploram. Com conteúdos mais objetivos, grupos e rede de transmissão, crie laços e uma comunidade com os atuais clientes, que podem divulgar seus serviços para outros. Você pode saber mais no Blog do Sebrae.

Os 8 P’s do Marketing

É uma evolução do Mix de Marketing de Kotler. A saber, os 8 P’s do marketing são guias que você deve observar para direcionar seu negócio com mais segurança. São eles:

  • Produto: Em primeiro lugar, observe seu produto e entenda qual problema do seu cliente você irá sanar. Produto é aquilo que seu cliente recebe, o serviço entregue.
  • Preço: Em virtude de o código de ética proibir a divulgação de preços dos serviços, trabalhe com o conceito de valor agregado. O que te diferencia dos outros para que seja melhor te contratar?
  • Praça: Onde seu público-alvo está online e off-line? Você está falando nos lugares certos? Estar no lugar certo é crucial para ter mais clientes.
  • Promoção: Analise como você oferece seu serviço e qual o perfil de pessoas que se interessam nele. Além disso, pense se o seu serviço possui algum tipo de sazonalidade ou se existe demanda o ano todo.
  • Posicionamento: Qual a sua persona? Como você fala com seus clientes? Com um tom mais informal ou formal?
  • Pessoas: Reflita se as pessoas que você alcança realmente tem o perfil da empresa. Para isso crie a persona, o perfil da pessoa com quem se fala e como falar com ela.
  • Processos: Defina quem cuida de cada etapa da estratégia de marketing escolhida pela equipe.
  • Performance: Chegada a hora de analisar. Aqui, se olha as métricas. Em resumo: Se atingiu os resultados?

O Inbound Marketing na Advocacia

Um dos principais pilares do marketing digital é o Inbound marketing, ou marketing de conteúdo.

Ele visa o cliente pela da criação de bons conteúdos. O consumidor se atrai por meio do uso da informação.

Algumas práticas do marketing de conteúdo são:

  • Criação e postagem em blogs da área. Conte e explique alguns conceitos chave e responda dúvidas para atrair a atenção do seu público alvo;
  • Criação de vídeos;
  • Criação de material educativo digital, tais como: Infográficos, ebooks e listas;
  • Podcasts;
  • Criação de estudo de casos. Destrinche um caso especial e como se resolveu;
  • Webinars e cursos;
  • Mantenha um diálogo com o público. Seja pelos comentários do blog ou rede social, ou respostas às dúvidas vindas por mensagens;
  • Planejamento e criação de conteúdo para as redes sociais.

Em suma, todas essas opções são formas de atrair o cliente, consolidar a marca e criar uma relação que pode virar negócios.

É crucial que se crie uma relação com o cliente e que, além de entregar conteúdos, que também se escute e que se tenha o diálogo, sempre aberto à conversa.

O marketing jurídico e o código de ética da OAB

Muitos têm medo de criar ações de marketing jurídico por conta do Código de Ética da OAB.

Sendo assim, veja as dicas abaixo:

marketing jurídico e o código de ética

O art. 39 diz que “a publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo”. Dessa forma, postagens e estratégias devem ter o foco em informar. Dessa forma, não promova de forma direta seu escritório, seu nome e seus serviços.

Já o art.3 informa que “São meios lícitos de publicidade da advocacia: §2º As malas-diretas e os cartões de apresentação só podem ser fornecidos a colegas, clientes ou a pessoas que os solicitem ou os autorizem previamente”

Indo para o ambiente online, é possível criar uma rotina de e-mail marketing com aqueles que desejarem receber informações.

O que se pode fazer?

  • Fazer anúncios, inclusive patrocinados, desde que não sejam tendenciosos (“O melhor advogado da cidade);
  • Ter um site que informe;
  • Manter um blog com postagens de conteúdo educacional;
  • Ser ativo nas redes sociais e patrocinar posts;
  • Incluir dados de contato em seu site e anúncios;
  • Manter uma comunicação através de e-mail marketing, enviando para a lista de clientes que aceitou receber seus conteúdos.

O que não se pode fazer?

  • Usar linguagem que direcione o consumidor de alguma forma;
  • Publicar valores e formas de pagamento;
  • Enviar mensagens com cunho publicitário, seja via e-mail, redes sociais, mala direta ou via celular;
  • Oferecer consultas grátis em troca de divulgação (Consultas pró-bono são liberadas, desde que respeitem esse quesito);
  • Fazer anúncios no rádio e televisão;
  • Usar imagens de tribunais em materiais do escritório;
  • Patrocinar ou promover eventos que não sejam diretamente relacionados ao Direito.

Mais sobre como a OAB regula o Marketing Jurídico você pode conferir no nosso post Marketing jurídico e OAB – Seu Guia Definitivo.

As mudanças do ensino jurídico com o crescimento do marketing digital para advogados

Com a crescente das estratégias online, o ensino também precisou se adaptar. Houve muitos avanços nesse sentido.

Assim como elas tiveram que se adaptar em primeiro lugar com soluções de ensino à distância, as instituições que possuem o curso de Direito estão cada vez mais agregando as disciplinas do marketing jurídico e o marketing jurídico digital dentro de suas grades.

Além disso, já se tem diretrizes diretas sobre o assunto dentro do Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil e diversos seminários, eventos e palestras feitos pelo país.

O marketing jurídico, hoje, já é visto como uma ferramenta para desenvolver a carreira do profissional.

Antes visto como uma ferramenta extracurricular e como diferencial na carreira do advogado, cada vez mais, as instituições apostam no marketing jurídico digital como uma solução viável e de fácil acesso para o novo profissional que está se formando.

Além das matérias do curso regular, são oferecidos diversos cursos complementares voltados à estratégias do marketing jurídico digital.

Práticas do Marketing Jurídico

Planejamento: A primeira parte de qualquer estratégia de Marketing é o Planejamento. Para se botar algo em prática é preciso entender onde se quer chegar o qual será o caminho a ser feito. Então é muito importante que se crie metas. Quais são os resultados que se deseja alcançar?

Qual a meta de clientes a serem conquistados com o investimento realizado? Quais serão os meios para o alcance dessas pessoas? Quanto será investido e em qual prazo? Todas essas perguntas são cruciais e as respostas serão a chave para o seguir com os outros passos.

  • Público-Alvo e Persona: Quem é o seu cliente? Quais seus hábitos, seus costumes, sua idade média, suas redes preferidas? Entender com quem está falando ajuda a definir como falar, onde falar e o que falar. A base do marketing jurídico é a comunicação e como ela é feita tem muita influência no resultado final.
  • Produção: Depois de todas as etapas definidas, é chegado o momento de colocar a mão na massa. Produza um bom conteúdo e que seja relevante para aquele que está lendo. Fique atento ao fato de que nem sempre o cliente saberá todos os jargões jurídicos então um texto simples é melhor. Não apenas o conteúdo escrito que deve estar muito bem feito. O visual de toda a comunicação da empresa também deve ser bem feito e agradável aos olhos. Isso desde o logo da empresa até o website.

O Conjur preparou um artigo com 50 estratégias simples de marketing para advogados com diversas dicas muitos úteis para serem aplicadas.

Conclusão

Um advogado hoje, para ser completo, não basta apenas dominar sua área. Ele precisa entender e aplicar as estratégias de marketing jurídico, para se destacar no mercado e conseguir mais clientes. Use esse guia para alavancar seus negócios e se destacar no mercado.

WeCreativez WhatsApp Support
Nossos especialistas estão aqui para responder suas dúvidas!
Olá! posso te ajudar a aumentar sua demanda?